Últimas Notícias
 

Em dez dias, fundo distribuído pelo Citi atrai mais de 1,2 mil pessoas

 

Jornal Valor Econômico
Alessandra Bellotto, de São Paulo
08/06/2010

 

Nem o início do ciclo de alta dos juros atrapalhou a colocação do fundo imobiliário Campus Faria Lima, estruturado pela Brazilian Mortgages. Foram necessários apenas dez dias para o Citibank, contratado como distribuidor exclusivo, vender R$ 167 milhões em cotas para a clientela. Encerrada ontem, a operação atraiu 1.296 investidores, dos quais 1.289 pessoas físicas.

O resultado surpreendeu os participantes da oferta. Apesar de a demanda por esse tipo de investimento estar aquecida, o diretor da Brazilian Mortgages Vitor Bidetti afirma que havia dúvidas sobre a velocidade com que as cotas seriam vendidas por conta do tamanho da operação e do juro. "A oferta andou mais rapidamente do que imaginávamos", diz. E isso, acrescenta, mostra que a perspectiva do investidor quanto ao uso do fundo imobiliário para diversificação do portfólio não mudou por conta da alta pontual do juro.

Além do tempo recorde de vendas, essa foi a maior oferta de varejo liderada, individualmente, pela Brazilian Mortgages. E a quarta em parceria com o Citibank, que já havia distribuído as carteiras imobiliárias Floripa Shopping, Anhanguera e Max Retail.

Bidetti conta que, relativamente às anteriores, a distribuição do Campus Faria Lima foi mais pulverizada. O tíquete mínimo caiu de R$ 200 mil para R$ 130 mil. A aplicação mínima, contudo, era de R$ 10 mil em cotas com valor unitário de R$ 1 mil. O diretor explica que, nas primeiras operações, a oferta ficava restrita ao segmento private. Hoje, o fundo imobiliário já está sendo vendido em toda a base de clientes do Citibank, conta.

Os recursos captados com a primeira emissão serão usados para a aquisição de imóvel comercial localizado na região da Faria Lima, em São Paulo, hoje majoritariamente alugado para o Insper, instituição de ensino sem fins lucrativos, o antigo Ibmec SP. Bidetti conta que a aquisição pelo fundo do empreendimento - que estava na carteira imobiliária proprietária Premier Realty - leva em conta os custos de um projeto de expansão que vai dobrar o tamanho do imóvel, com oito novos andares.

O empreendimento foi construído sob medida para o Insper e depois adquirido pelo Premier Realty. Com todas as aprovações da expansão, a Brazilian Mortgages decidiu preparar a oferta público para o varejo. Por conta da obra, a Brazilian Finance & Real Estate, na qualidade de cotista do Premier Realty, garantirá ao fundo o recebimento de uma renda mensal com aluguel de 0,83% ao mês, calculados sobre o preço da aquisição. Esse valor, segundo Bidetti, é líquido das despesas ordinárias da carteira e está garantido pelo período da expansão, estimado em 18 meses, e mais 12 meses após a conclusão da obra.

Para o investidor pessoa física, isso significa um renda garantido de pelo menos 10% ao ano - líquido de Imposto de Renda para esse público desde que atendidas determinadas condições -, fora a possibilidade de ganho com valorização da cota no mercado secundário da bolsa.

Com a oferta, a Brazilian Mortgages já estruturou mais de R$ 300 milhões em fundos imobiliários neste ano. Em ofertas registradas na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), o segmento já soma mais de R$ 974 milhões. Em análise, há outros R$ 580 milhões.